5 motivos para trabalhar valores com as crianças que você precisa conhecer
» » » 5 motivos para trabalhar valores com as crianças que você precisa conhecer

5 motivos para trabalhar valores com as crianças que você precisa conhecer

Pin It

Como educadores nos sentíamos muitas vezes acabrunhados vendo aquelas salas lotadas de crianças, aquelas apostilas repletas de conteúdos que deveriam ser cumpridos, dezenas de relatórios que deveriam ser feitos e mesmo com tantos afazerem, sentíamos um vazio. Será que ser educador é isso mesmo?

Em nosso coração queríamos fazer um trabalho diferenciado. Alimentávamos o desejo de fazer algo diferente: não só transmitir o conhecimento pelo conhecimento, mas sim movimentar algo na criança para que ele tornasse o conhecimento útil para realizar o melhor para si mesmo e para o outro.

Mas o que era esse algo? Bom, esta era a questão para a qual buscávamos uma resposta. Durante nosso estudo da Pedagogia ficamos compenetrados das teorias do desenvolvimento humano ou da psicologia genética, principalmente o desenvolvimento emocional e o juízo moral. Aprofundamos nossos estudos buscando encontrar um método que verdadeiramente pudesse nos auxiliar na prática.

Foi quando nos deparamos com a Pedagogia do Amor de Pestalozzi e foi amor à primeira vista. As ideias de Pestalozzi antecipam a psicologia genética antes mesmo de assim ela ser conhecida. Sua prática e teoria veio de encontro com o que buscávamos e suas vivências com as crianças era o método que nos deu esperanças e uma luz no fim do túnel.

Nosso coração se alegrou com uma nova possibilidade de relacionar o ensino com a educação em valores, utilizando a natureza como recurso para a aprendizagem.

Armados desse novo conhecimento, fomos para a boa luta e começamos a fazer algumas experiências na tentativa de vivenciar a educação em valores com a Pedagogia do Amor.

No começo tudo parecia meio confuso, mas aos poucos fomos observando os resultados nas crianças: as aulas passaram a ser momentos de alegria, as crianças ficavam motivadas e desejavam aprender.

Os resultados das novas experiências com as crianças foram tão motivadores que a sensação de vazio passou e começamos a ter a sensação de dever cumprido. Por isso, resolvemos seguir nosso coração e com a ajuda de outros amigos da Educação passamos a produzir conteúdos para educar em valores com objetivo de compartilhar ideias, experiências e recursos com outros educadores. E assim surgiu a Editora Artpensamento.

Assim como existe uma ciência para a educação cognitiva – Piaget, Vygotsky, Wallon e muitos outros educadores, filósofos e psicólogos que descortinam desenvolvimento cognitivo. Hoje podemos dizer que existe uma ciência que nos ensina os princípios e métodos da educação em valores.

A Pedagogia do Amor é esta ciência que ensina o educador como educar em valores para que a criança valorize a vida.

Neste artigo trazemos para você, educador que sente em seu coração o desejo de realizar algo a mais pelos seus alunos, cinco motivos para encorajar você a participar conosco deste movimento em prol de uma educação mais humana que já envolve centenas de educadores pelo Brasil desenvolvendo os projetos pedagógicos, utilizando os livros infantis e compartilhando os recursos educacionais da Editora Artpensamento e, mais do que isso, sentindo-se motivados para criar e desenvolver seus próprios projetos na educação em valores.

Então, vamos aos cinco motivos:

 

1. Os valores fazem do ser humano mais humano


5 motivos para trabalhar valores com as crianças

Pestalozzi é o mestre neste assunto quando trouxe o livro “Minhas investigações sobre o curso da natureza na evolução humana” (só um parêntese, este livro é fantástico e deveria ser estudado pela Pedagogia, enquanto isso não acontece, já estamos planejando escrever sobre ele aqui no blog). Neste livro, Pestalozzi explica com detalhes a diferença que existe entre o homem animal e o homem humano.

Para ele o dever da educação é desenvolver no homem as suas capacidades humanas, isto é, tudo o que faz do homem humano no sentido dos sentimentos de humanidade – o amor, a solidariedade, a fraternidade, o afeto – nesse sentido, a inteligência, a capacidade de criar e de fazer teriam como objetivo sempre desenvolver o melhor de si mesmo visando o melhor para os outros. E isso só acontece quando o desenvolvimento moral precede o desenvolvimento intelectual e prático.

A educação focada essencialmente no desenvolvimento intelectual acaba por se arriscar no caminho do desenvolvimento das capacidades animais do homem, isto é, tudo o que está relacionado às sensações que podemos observar no mundo animal – a necessidade de poder para preservar a espécie, de ser o mais forte, de competir, de dominar – situações que são estimuladas através da competição, das provas, das notas, das fantasias – que motivam a criança a estar sempre pensando em si mesmo e se comparando com os outros.

Daí despertando diversos sentimentos que conduzirão sua vida adulta trazendo grandes dificuldades: egoísmo, ambição desenfreada, vaidade exagerada, corrupção, mentira, medo e insegurança. Resumindo: é o estado atual da nossa sociedade.

Pois é, como vemos, o assunto é sério e deveria ser melhor estudado por nós educadores e pais. Educar a mente sem educar o coração faz com que a criança tenha dificuldades em direcionar seu conhecimento para as boas realizações.

Está curtindo esse artigo? Então coloque seu email abaixo para se juntar a vários educadores do Blog e ser o primeiro a receber novos conteúdos.



Coloque seu e-mail abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog pedagógico.

 

2. Os valores promovem a afetividade entre educador e educando


5 motivos para trabalhar valores com as crianças

Nosso pai sempre nos contava a história de um mestre religioso que recebeu uma mãe desesperada porque seu filho tinha diabetes e não parava de comer açúcar e ela queria que o mestre conversasse com o seu filho para ajudá-lo.

O mestre disse para que a mãe voltasse com o menino dali a dois meses. Passado os meses, a mãe retorna e o mestre conversa com o menino que sai animado. Então a mãe questiona o mestre se ele não poderia ter tido aquela conversa dois meses antes.

O mestre disse que não porque há dois meses ele também amava comer açúcar e não teria condições de ensinar nada ao filho dela. Era preciso primeiro que ele mesmo soubesse lidar com as emoções de ficar sem comer açúcar para poder ajudar verdadeiramente aquela criança.

Ao contar a sua vivencia para o menino, ele percebeu que também era possível conseguir vencer as emoções que o faziam não parar de comer açúcar. É por isso que a aprendizagem de valores se dá por meio do contágio emocional.

Pensando em uma situação escolar. Uma amiga educadora ao final de toda a aula pegava a vassoura e varia a sala e conforme fazia isso ia conversando com as crianças sobre a importância de deixar a sala limpa como a encontraram pela manhã, pois não era justo deixar nossa sujeira para outros limparem, pois devemos respeitar o trabalho de cada um.

Depois de alguns dias fazendo isso, as crianças começaram a pedir para varrer e a sala se organizou para que cada criança tivesse seu dia de limpar.

Isso não é muito melhor do que dar sermão e obrigar as crianças a fazerem sem que elas sintam que o que estão fazendo é importante?

O princípio para educar em valores é viver os valores. Não é possível ensinar valores somente verbalizando sem nenhuma vivência.

Muito curiosa foi também a situação vivenciada em uma reunião pedagógica em que a diretora trouxe a ideia de trabalhar com as crianças o valor do respeito como projeto do ano.

Os professores se empolgaram e começaram a planejar o que poderiam fazer.

Só teve um pequeno problema: ninguém conseguiu planejar nada de fato, pois todos os professores falavam ao mesmo tempo, ninguém ouvia a ideia do outro e não conseguiram decidir nada.

Você acha que este projeto foi para frente? Pois é, nas próximas reuniões pedagógicas ninguém mais se lembrava dessa proposta e cada um seguiu à sua maneira.

E mais uma vez vemos que a aprendizagem dos valores ocorre por contágio emocional, a criança vê no educador sua postura e com o tempo vai se sentindo estimulado pelos seus exemplos nos relacionamentos que a criança observa entre o educador e os educandos, o educador e a equipe escolar.

Assim é também na família, a criança observa as emoções dos pais e vai aprendendo determinados valores a partir delas.

Então, qualquer educador ou escola que se proponha a vivenciar um projeto valores, necessariamente, precisa estar disposta a vivê-los para que as crianças se sintam seguras e motivadas com o novo aprendizado.

 

3. Os valores estimulam um ideal de vida


5 motivos para trabalhar valores com as crianças

Um dos casos que mais nos chamou atenção neste assunto foi de uma menina norte-americana que viu a mãe comprando um lanche para um morador de rua.

A menina de apenas cinco anos ficou inconformada ao saber que existiam pessoas que moravam na rua e não tinham o que comer. Começou então a fazer uma horta na sua casa, com o estímulo da mãe e do avô, para doar os alimentos à Instituição que oferece almoço todos os dias aos moradores de rua.

Isso se tornou um ideal para ela, hoje ela já fez vários projetos, aumentou a horta e está construindo um abrigo móvel para proteger os moradores de rua no inverno rigoroso. E sua mãe e avô continuam estimulado e acompanhando os projetos.

A criança se molda de acordo com aquilo que nós apresentamos a ela, assim é que se desenvolve sua personalidade. Por isso, trabalhar valores desde a tenra idade direciona o pensamento e a vontade da criança para a realização de um ideal maior, um ideal humano.

Talvez o que mais nos dificulte neste trabalho é acharmos que a criança deve viver somente o mundo sem responsabilidade e cheio de fantasias, príncipes, princesas, heróis e monstros que formatam sua personalidade para situações que não são reais que geram expectativas e como consequência as frustrações.

O resultado disso são os adultos inseguros, cheio de fobias, deprimidos, ansiosos, confusos e vivenciando diversos processos de fuga que geram mais culpas e mais tormentos. Tudo porque foi mostrado para eles um mundo fantasioso que os iludiu sobre o verdadeiro sentido da vida.

Podemos citar outros exemplos como o das crianças que rasparam a cabeça para apoiar o colega que estava tratando de câncer. Um grupo de jovens que cancelou a festa de formatura e doou o dinheiro uma jovem que não conheciam, mas que tomaram conhecimento pelo facebook que estava doente e precisava realizar um tratamento muito caro para se curar.

Um professor, um pai, uma avó, um tio, alguém estimulou estas crianças e jovens a pensarem e sentirem o mundo ao redor além de suas próprias necessidades e desejos. Além dos contos de fada, além dos super heróis…

Quando a criança é educada pelo exemplo do amor e da humanidade, ela percebe que o mundo é muito mais que a sua própria vida e passa a alimentar um desejo de fazer parte do mundo da melhor maneira possível.

 

4. Os valores dão utilidade ao conhecimento intelectual


5 motivos para trabalhar valores com as crianças

Se perguntarmos a você quais são as capitanias hereditárias do Brasil Colonial, será que você se lembrará de todas? Mas você teve que decorar cada uma delas para a prova e até para o vestibular. O que aconteceu então com esse “aprendizado”?

Quanto tempo perdido alimentando a memória com um monte de conteúdo que poderia ser muito útil na nossa vida, mas da forma como aprendemos, totalmente desvinculado dos valores e da vida cotidiana, perderam-se nos porões da nossa memória.

Essa é a grande sacada de Pestalozzi, tornar o conhecimento útil para a vida e ele só será útil se for associado aos valores.

Como por exemplo: estudar os reinos da natureza é fundamental para compreender o porquê da preservação do meio ambiente e da sustentabilidade. Mas para isso é preciso ajudar as crianças a sentirem a importância dos seres e seu papel na natureza e mais que isso, sentirem que nós fazemos parte desta rede de solidariedade nas relações entre os seres e elementos da natureza.

Necessitamos conectar os sentimentos com o conhecimento para que as crianças sintam que aprender é prazeroso e encantador.

 

5. Os valores transformam a sociedade


5 motivos para trabalhar valores com as crianças

Sentimos informar que não é a nem a política e nem o governo que mudam a sociedade. Pestalozzi logo descobriu isso quando viu os resultados moralmente desastrosos da Revolução Francesa, cujos ideias ele tanto defendeu. Onde foram parar a igualdade, fraternidade e liberdade?

Com certeza não estavam no coração, somente na razão, pois até hoje elas ainda não chegaram na nossa sociedade. Somente estão por aí em forma de teorias e textos magníficos, mas que não têm ressonância em nossos sentimentos reais, porque não aprendemos a senti-las verdadeiramente.

Foi com este choque de verdade que Pestalozzi passou a estudar qual era de fato o maior meio de transformação da sociedade e nessa busca descobriu que a educação do ser integral educa o coração, a mente e as mãos para realizarem o melhor de si mesmo na busca por realizar o melhor para o outro.

Assim foi que ele educou seus alunos e os transformou em homens bons, generosos, honestos e dedicados. Muitos foram grandes profissionais conhecidos da época, médicos, engenheiros, professores, políticos, incluindo Rivail, ou mais conhecido como Kardec, que codificou a Doutrina Espírita, resgatando a caridade e a vivência dos ensinamento de Jesus.

Homens que fizeram a diferença na sociedade por suas posturas e exemplos.

Como poderia ser uma família de apenas quatro pessoas em que os membros tivessem sido educados com este método? Como você imagina a vida dessa família?

Agora pensemos numa rua que recebeu essa mesma educação. Como ela seria? Uma escola? Um bairro? Uma cidade? Um país? Uma sociedade inteira?

Com certeza seria muito diferente das referências que nos cercam hoje.

Respeito, solidariedade, compaixão, tolerância e bondade seriam ações comuns, objetivos a serem alcançados por todos, independente da condição social, econômica e profissional.

Pensar assim não é utopia, é esperança. E a esperança é a espera pelos resultados de um trabalho que se realiza com responsabilidade e dedicação. Pestalozzi conseguiu e seus alunos influenciaram a história da humanidade para o progresso do bem.

Você já pensou que cada um dos nossos educandos poderão ser homens e mulheres com grande poder de influência na história da humanidade para o bem? Precisamos despertá-los quando crianças para que no futuro as escolhas para o bem sejam tomadas de forma natural, porque já estarão embutidas nos valores que aprenderam e registraram em suas personalidades.

Por isso que estamos aqui trazendo este conhecimento que mudou nossa forma de enxergar a educação e tem transformado os educadores que o conhecem e praticam e as crianças que por eles estão sendo educadas.

E você pode participar desse movimento conosco divulgando para seus amigos educadores esse conhecimento, escolha como quer compartilhar:

 

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe suas ideias sobre como você vê a importância de trabalhar valores com as crianças.

 

trabalhar valores na educaçãoSe você gostou desse artigo vai gostar ainda mais do nosso Curso Como educar em valores na educação básica. Nele reunimos um método de educação em valores que utilizamos e torna o trabalho mais simples, prático e dinâmico.

Veja aqui.

 

 

 

 

 

Abraços e alegrias no trabalho.

Milena Barbosa

Coordenadora Pedagógica da Editora Artpensamento.
livros infantis e projetos pedagógicos para educar em valores

Salvar

Deixe-nos um comentário

Deixe uma resposta