6 atitudes do educador que faz a diferença na educação dos alunos
» » » 6 atitudes do educador que faz a diferença na educação dos alunos

6 atitudes do educador que faz a diferença na educação dos alunos

Pin It

Você já percebeu isso?

Júlia e Marcele são educadoras da mesma escola, ganham o mesmo salário, têm número de alunos em sala, recebem as mesmas orientações tanto da Secretaria de Educação como da direção e coordenação da escola.

Na escola delas ainda falta muita coisa… sem equipamentos nos laboratórios… sem impressora… sem área verde… os móveis estão um pouco velhos e desgastados… e as paredes não veem tinta há muito tempo. É… parece que a situação por lá não está “aquelas coisas” como se diz.

É dia de reunião pedagógica. Todos os educadores reunidos para o planejamento das atividades do semestre. Marcele e Júlia estão presentes. Júlia não está com uma cara nada boa, na verdade parece bastante irritada. Marcele está com sorriso nos lábios e animadíssima com a reunião.

“Assim não dá – diz Júlia com ar de desânimo para a coordenadora, essa Secretaria não ajuda em nada o nosso trabalho, sem impressora, sem papel, e esse material didático que não chega nunca, como vamos dar aula desse jeito?”

Sua fala inflama uma parte dos educadores e surge uma leva de outras interjeições negativas.

“Concordo com vocês – fala Marcele com energia positiva – e por isso estive pensando em, quem sabe, se pudéssemos realizar um projeto diferente para motivar nossas crianças, nos motivar e até envolver os pais?”.

Um outro educador diz:

“Podemos pensar em algo relacionado há sustentabilidade, por exemplo, já que nos falta um monte de coisa, quem sabe não encontramos soluções com reciclagem e reaproveitamento de materiais?”

Outro:

“É… poderíamos relacionar o projeto com as disciplinas, acredito que assim as crianças teriam mais interesse pelos conteúdos”.

E outro:

“Acho muito bom, mesmo porque, sabemos que nem tão cedo vamos ter as condições ideias para o nosso trabalho. É claro que vamos continuar pressionando os responsáveis, mas também acho que podemos melhorar algumas coisas por aqui.”

E mais um:

“Acredito que com ações simples podemos trazer mais alegria para as crianças e para nós. Eu quero acordar e me sentir feliz por estar nesta escola.”

A sala se divide em opiniões opostas: os animados e os desiludidos com a educação. Por que numa mesma escola vemos educadores motivados e esperançosos e outros desanimados e descrentes com a educação?

Você já se viu nas duas situações? Bom, nós sim, e é por isso também que decidimos que queríamos fazer algo diferente. Mas como?

Em busca de respostas para esta questão, pesquisamos algumas histórias de educadores que fizeram a diferença na educação, mesmo com toda a lista de dificuldades que já conhecemos, e concluímos que existem 5 atitudes principais que fazem destes educadores motivados com a missão de educar.

Vamos às cinco atitudes. Quem sabe você já não as vivencia? Quem sabe não se sente estimulado a vivenciá-las?

 

1. SENTE A EDUCAÇÃO COMO UM DEVER MORAL


educadores que fizeram a diferença

Em todos, mas absolutamente todos os casos, os educadores motivados pela educação a veem além da obrigação profissional.

Muitos foram os relatos de educadores os quais disseram que foi exatamente por conta das inúmeras dificuldades do sistema educacional que fizeram eles sentirem que podiam fazer algo mais pelas crianças.

O dever moral tem esse sentido de responsabilidade individual. Quer dizer: existem coisas que não são da nossa ossada resolver – porque depende de políticas públicas, verbas e melhor organização do sistema, etc – mas na esfera em que nós somos os responsáveis diretos, ou seja, o desenvolvimento das crianças, o que podemos fazer?

Pestalozzi explica o dever moral de maneira tão encantadora que nos permitiu entender o motivo de um educador ser motivado mesmo diante da injustiça do sistema educacional.

Não é por menos, quem conhece a biografia de Pestalozzi a fundo sabe que para ele não foi nada fácil, mesmo assim, ele nunca perdeu o ânimo e alegria em educar. Com certeza isso faz dele um exemplo de educador motivado e um modelo a ser seguido.

Na vivência de Pestalozzi, para um educador que vê a educação como um dever moral a injustiça não gera revolta e embrutecimento, mas sim um sentido de responsabilidade que o faz desejar realizar o melhor porque se sente responsável pela vida das crianças que estão na condição de seus alunos.

Por isso que os educadores motivados arregaçam as mangas e desenvolvem trabalhos diferenciados dos demais. O foco deles não é o que está ruim, mas o quanto pode ser melhor.

 

2. ENXERGA A ESCOLA ALÉM DOS MUROS


educadores que fizeram a diferença

“Criamos este projeto porque percebemos que a escola vai muito além do muro.”

 

“A vida das crianças está fluindo lá fora (da escola) e precisamos fazer alguma coisa para mudar o mundo.”

 

“Senti que deveria fazer algo certo para mudar o mundo.”

Nestas frases reais de educadores podemos perceber que o sentido moral do educador enxerga a criança além do aluno e o vê como um ser que necessita de amparo e direção para a vida.

Estes educadores começaram a pensar em formas de integrar a escola ao cotidiano dos alunos para que os alunos enxergassem sentido nos conteúdos que aprendiam.

Com isso os alunos começam a perceber que o que estão aprendendo não serve só para passar de ano, mas traz motivação, curiosidade e alegria.

A escola deixa de ser somente um espaço de instrução e passa a ser vista como um projeto social, cujos conhecimentos adquiridos pelas crianças têm reflexo em suas vidas cotidianas. Este era o sonho de Pestalozzi.

“Este projeto modificou o caminho que eu vou seguir. Antes nem imagina que poderia realizar as coisas que realizo hoje.”

Neste depoimento de um aluno percebemos o reflexo positivo que tem na história de vida das crianças a presença de um educador que reconhece na educação uma missão.

 

3. ACREDITA QUE O MÉTODO DE ENSINO É RESPONSÁVEL PELA MOTIVAÇÃO DOS ALUNOS


educadores que fizeram a diferença

Esta é a atitude que nós mais valorizamos porque vem de encontro com a proposta da Pedagogia do Amor de Pestalozzi. Em muitos momentos nos livros de Pestalozzi ele afirma a importância do método utilizado pelo educador. E é por isso mesmo que ele propõe o método do APRENDER FAZENDO.

Não por acaso, os educadores motivados pensam como Pestalozzi. Eles acreditam que é na metodologia de ensino que está o segredo para que o aluno se sinta motivado. Por isso, adotaram métodos que correspondem a expectativa do aluno com maneiras de ensinar que chamam a atenção dele.

É o método que faz da aprendizagem momentos de prazer e alegria. Como um professor de física que fez das aulas momentos práticos para que as crianças pudessem associar o conteúdo ao seu cotidiano.

Ele disse o seguinte: “Mudei meu método de ensinar. Passei a associar a apostila e o livro didático trazendo a prática. Com as aulas mais interativas os alunos passaram a ter interesse pelos conteúdos.”

 

4. EDUCA EM VALORES PARA QUE O ALUNO VALORIZE A VIDA


educadores que fizeram a diferença

O educador que faz a diferença na vida das crianças ensina muito além dos conteúdos.

Ele passa a se relacionar mais com os alunos. Aproxima-se deles, conhece suas vidas, sua família, sabe das suas dificuldades dentro e fora da escola.

O desejo do educador de dar direção na vida das crianças já promove esta aproximação de forma natural. E sua postura e seus ideias de vida vão sendo transmitidos aos poucos para seus alunos pelo seu exemplo e pelo contágio emocional. No artigo 6 passos para trabalhar valores na sala de aula exploramos mais sobre como educar em valores na sala de aula.

Quantos valores não se aprende apenas com o uso de um método de educação com vivências práticas? União, colaboração, respeito, disciplina, organização, solidariedade, etc. Imagine então quanto mais pode ser acrescentado com projeto na escola voltado à sociedade? Em um projeto de sustentabilidade, por exemplo?

 

5. DESENVOLVE O SEU TALENTO


educadores que fizeram a diferença

Esta foi uma atitude que observamos em todos os educadores motivados. Cada um deles desenvolveu um método de ensino mais prático a partir do seu talento:

– Aqueles que têm habilidades com plantas fizeram projetos com horta/jardinagem. Como os professores que fizeram uma horta com os alunos destinando os alimentos à merenda e completaram todo o ciclo sustentável com uma composteira e captação da água da chuva. Tudo projetado, planejado e mantido pelos alunos.

– Aqueles que tocavam algum instrumento passaram a associar a música com os conteúdos. Como um professor de biologia que começou a criar canções com os alunos sobre os assuntos que aprendiam. Sua aulas são verdadeiros momentos de composição.

– Aqueles que eram inventivos criaram recursos visuais para os alunos aprenderem com o concreto. Como o professor que queria usar o laboratório da escola, o qual não tinham nenhum equipamento, então ele mesmo cria os equipamentos com material reciclado para as crianças fazerem os experimentos.

– Aqueles mais artísticos associaram a produção artística com os conteúdos – teatro, dança, pintura, vídeos, grafite, poesia, etc. Como a professora de história que teatraliza os conteúdos se vestindo de acordo com o momento histórico que vai trabalhar.

Além de motivar os alunos a colocarem a mão na massa, o educador que utiliza seu próprio talento para ensinar se sente também motivado já que está associando algo que gosta muito de fazer à sua prática como educador.

E você já usa seu talento como método para ensinar?

 

6. PLANEJA COM PRIMOR AS SUAS AULAS


professor que faz a diferença

Esta atitude é tão importante quanto as outras. O educador motivado prepara suas aulas com cuidado e dedicação. Só assim é possível aliar a prática com a teoria.

O momento de preparação das aulas para eles é o momento de buscar inspiração e deixar fluir a criatividade para que as crianças realmente se sintam cativadas pelo que vão aprender.

Quando menosprezamos o valor da preparação das aulas, não deixamos claro para nós mesmos e muito menos para as crianças o objetivo daquela aprendizagem.

O resultado é que podemos ficar um pouco perdidos na sequência didática no desenvolvimento de determinado conteúdo e, por sua vez, as crianças ficam dispersas e desmotivadas porque começam a não ver sentido naquilo que estão aprendendo.

Os educadores motivados optam por fazer projetos. Com os projetos é possível ser mais criativo, utilizar diversos recursos para tratar de um tema e criar uma sequência de ideias e atividades que vão se complementando ao longo das aulas. Além de gerar motivação e expectativa nas crianças, pois elas percebem que o que estão aprendendo tem uma utilidade em suas vidas.

Por isso que em nossas produções da Editora Artpensamento, nossa equipe pedagógica sempre associa os livros infantis criados com projetos pedagógicos para educar em valores. Se você não conhece este trabalho, clique aqui para ver.

Após ler estas atitudes, você se considera um educador motivado?

Se sim, continue em frente, você está no caminho certo e venha fazer parte do nosso blog para continuarmos trocando figurinhas sobre nossas experiências. É só deixar seu e-mail abaixo.

Se você não ainda não se considera motivado, mas deseja muito ser, também venha participar do blog. Assim você receberá um conteúdo VIP que pode dar um empurrãozinho. Deixe seu e-mail abaixo.



Coloque seu e-mail abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog pedagógico.

Você também conhece um educador motivado? Então compartilhe com ele estas cinco atitudes!

 

Que possamos ter cada vez mais educadores motivados para que nossas crianças tenham dias alegres na escola e na vida.

 

Abraços e alegrias no trabalho.

Milena Barbosa

Coordenadora Pedagógica da Editora Artpensamento.
livros infantis e projetos pedagógicos para educar em valores

Deixe-nos um comentário

Deixe uma resposta